Conheça Reggie Smythe

Saiba mais sobre o criador de Zé do Boné (Andy Capp)

Reggie Smythe

Reginald Smythe (Hartlepool, 10 de julho de 1917 – Hartlepool, Inglaterra, 13 de junho de 1998), cartunista inglês é o criador do personagem Andy Capp, ou Zé do Boné para os brasileiros.

Zé do Boné

Smythe começou sua carreira como cartunista quando já tinha mais de 30 anos de idade. Antes servira no exército britânico durante a II guerra mundial, mais especificamente na unidade de fuzileiros que atendia pelo nome de “Northumberland Fusiliers”. Com eles participou do cerco e assalto a Tobruk.

Foi durante sua estadia no exército que conheceu aquela que mais tarde viria a ser sua esposa, Vera Toyne. Mantiveram correspondência durante 8 anos, até o casamento em 1949. Ao encerrar a carreira militar, Smythe arranjou trabalho num escritório de correios em Londres. Nessa época realizou seu primeiro trabalho como cartunista, um cartaz para uma peça de teatro. Animado com o resultado começou a desenhar cartuns com a idéia de vendê-los, chegando a fazer até 60 deles por semana. Não levou muito tempo e ele já estava publicando nos jornais locais.

O esboço de Andy Capp surgiu quando ele fazia uma charge para o Daily Mirror. Mais tarde, quando Andy Capp já era um sucesso, o autor admitiria que tinha se inspirado em experiências dele e de alguns amigos.
Desde o início, em 1958, a tira do beberrão contumaz e preguiçoso trazia todos os elementos que a fizeram famosa: Andy segurando indolentemente o cigarro no canto da boca enquanto enfia as mãos nos bolsos. E, como não poderia deixar de ser, a capa de chuva. Smythe admite que nos primeiros tempos ele costumava desenhar a personagem de costas porque não tinha muita habilidade para fazer rostos.

Tiras Andy Capp

A tira experimentou mudanças ao longo dos anos. Andy foi ficando menor, enquanto Flo virava uma mulher imponente. O cigarro sumiu da boca de Andy quando o artista parou de fumar. Os desenhos ficaram mais leves e Flo adquiriu maior importância na tira.

Andy Capp começou humildemente e sem estardalhaço. O grande salto veio em 1963, quando Bob Hall, proprietário do Hall Syndicate se interessou em publicar a tira nos Estados Unidos. Andy Capp chegaria, coisa rara para uma tira inglesa, a ser um sucesso. Milhares de norte-americanos passaram a acompanhar com atenção as aventuras e desventuras daquele casalzinho com a mesma atenção com que, décadas atrás, tinham acompanhado Bringing up Father de Mc Manus. No auge, a tira chegou a ser publicada em 1000 jornais em mais de 40 países.

Tirinhas Zé do Boné

A tira gerou protestos de grupos feministas que acusaram Andy de bater na mulher. Smythe jura que isso nunca aconteceu. De resto, a história é conhecida. Andy passa o dia inteiro em casa sem fazer nada enquanto Flo dá um duro danado para ganhar alguns trocados e encher a despensa. A única atividade dele é visitar os botecos enquanto acompanha os resultados das corridas de cavalos. Mesmo assim Flo é capaz de sentir ciúmes daquele estropício. Quando questionado sobre o sucesso de Andy Capp, Smythe não conseguia explicá-lo. “Talvez seja por causa da Flo”, arriscou.

Tirinhas do Zé do Boné

Reg Smythe morreu após uma longa batalha contra o câncer em junho de 1998. Com sua morte fica uma incógnita sobre o futuro da tira. Sabe-se que ele deixou um estoque de tiras não publicadas. O sindicato pode contratar outros desenhistas e continuar com as aventuras de Andy Capp ou optar pela republicação das tiras antigas, como já aconteceu em outras ocasiões.

Tirinhas do Zé do Boné

1 Comentário Conheça Reggie Smythe

  1. Pingback: JHB Design – Zé do boné

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *