Conheça Joaquín Salvador Lavado, o “Quino”

Saiba mais sobre o criador de Mafalda

Quino, criador de Mafalda

Quino, ou Joaquín Salvador Lavado, nasceu dia 17 de julho de 1932 na cidade de Mendoza (Argentina). Recebeu o apelido desde pequeno, para diferenciá-lo de seu tio Joaquín Tejón, pintor e desenhista publicitário com quem aos 3 anos descobriu sua vocação. Na década de 40, perde sua mãe e seu pai. Termina a escola primária e decide inscrever-se na Escola de Belas Artes de Mendoza. Em 1949 abandona a Faculdade de Belas Artespara dedicar-se a desenhar quadrinhos e humor.
Por vários anos tenta vender seus trabalhos nos jornais de Buenos Aires, sem sucesso. Finalmente em 1954 vê publicado seu primeiro desenho – mas a contribuição regular para os jornais deu-se somente 3 anos depois. Esporadicamente realiza campanhas publicitárias.
Casou-se em 1960, em 1963 lança seu primeiro livro humorístico: “Mundo Quino” e, em 1964, nasce sua primeira personagem, Mafalda.

Mafalda

Em 1970 sua Mafalda é publicada na Espanha e em Portugal. Quino começa a deixar as fronteiras da Argentina, mas não alcança sucesso na Alemanha e em França, onde Mafalda foi publicada em 1973. No mesmo ano, Mafalda chegaria ao Brasil em plena Ditadura militar, através da revista Patota da Editora Artenova. A obra mais famosa de Olá á todos!Quino é a tira cômica Mafalda, publicada entre os anos 1964 e 1973.
Editada em tiras nos jornais, Mafalda questionava todos os problemas políticos, de gênero, e até científicos que afligiam sua alma infantil e, ao mesmo tempo, refletia o conflito que as pessoas da época enfrentavam, sobretudo com a progressiva mudança dos costumes e a já incipiente introdução da tecnologia no cotidiano.
mafalda

Apesar de ter sido interrompida ainda no começo dos anos 1970, Mafalda possui uma legião de fãs, e o trabalho de Quino ainda tem o merecido reconhecimento internacional, como um dos maiores cartunistas do mundo. Quino criou varios personagens, mas a personagem mais famosa é Mafalda, uma menina de quase 8 anos que odeia sopa.

Em 1976 Quino muda-se para Milão, aos poucos seus trabalhos vão tendo o reconhecimento e divulgação, hoje espalhados em todo o planeta. Na Argentina, “Mafalda” virou nome de uma praça, e diversas homenagens são prestadas ao criador e à criatura.

Em 1977, a pedido da UNICEF, Quino ilustra com a Mafalda e os personagens de sua tira a Edição Internacional da campanha mundial da Declaração do Direitos da Criança. No México, inicia-se a edição dos livros da Mafalda.

Em 1978, o Salão Internacional do Humorsimo de Bridigher confere-lhe o Troféu Palma de Ouro, sua mais alta distinção. Na França, a Editions Glénat publica o primeiro álbum de humor Pas mal et vous? [Nada mal, e você?].

Em 1982, Quino é eleito por seus colegas de todo o mundo o Desenhista do Ano. Nessa qualidade, preside o júri do Salão Internacional de Humorismo de Montrreal, no Canadá. Recebe o prêmio Konez de Platina, de Artes Visuais e Humor Gráfico. São publicados no Brasil os três primeiros livros da Mafalda. Uma comunidade de uruguaios residentes da Suécia publica os Librinhos da Mafalda.

Em 1984, foi convidado para integrar o júri do festival de Cinema Latino-Americano de havana, Quino viaja para Cuba, onde se inicia sua amizade com o diretor de cinema de animação Juan Padrón. Assina um contrato com o ICAC para a realização de curtas-metragens com suas páginas de humor. A série, sobre desenhos e ideias de Quino, é dirigida por Juan Padrón. Como parte das comemorações do advento da democracia da Argentina, a Fundación San Telmo organiza uma exposição retrospectiva de Quino em Buenos Aires. No final de novembro, outra exposição é organizada em Mendoza, sua cidade natal. Na Itália festejam-se os 20 anos de Mafalda. Na Espanha são publicados os únicos quatro livros da Mafalda em galego. Na Dinamarca, sai o primeiro e único livro da Mafalda.

Em 1986, Mafalda é protagonista de uma campanha publicitária para promover as primeiras eleições dos Conselhos Escolares na Espanha. Pela primeira vez é publicado um álbum de humor nos EUA: The World of Quino. Foi um dos vencedores, entre outros latino-americanos, da Segunda Bienal de Artes Plásticas de Havana.

Em 1988, a cidade de Mendoza outorga a Quino o título de Cidadão Ilustre e lhe entrega a chave da cidade. Quino desenha Mafalda e Liberdade para um cartaz do Ministério de Relações Exteriores da Argentina, celebrando o Dia dos Direitos Humanos e o quinto ano da recuperação da vida democrática na Argentina. Em Erlangen, na Alemanha, o Terceiro Salão Internacional da História em Quadrinhosoutorga a Mafalda o grande prêmio internacional Max und Moritz. No Brasil é publicado pela primeira vez um álbum de humor, e na Noruega sai um livro da Mafalda.

Em 1989, para comemorar os 25 anos da publicação da primeira tira da Mafalda, a Ediciones De La Flor apresenta Mafalda Inédita numa exposição de desenhos originais e documentos organizada no Teatro san Martín de Buenos Aires.

Em 1992, a Sociedade Estatal Quinto Centenario organiza em Madrid uma grande mostra de 1.200 m2 intitulada “El Mundo de Mafalda”, durante a qual também é exibido um curta-metragem realizado em Cuba por Juan Padrón, sobre um desenho de Quino da Mafalda com Colombo e é publicado um catálogo com o nome da mostra. Novamente Quino ganha o prêmio Konex de Platino: Artes Visuais – Humor Gráfico.

Em 1994, em Milão, os trinta anos da Mafalda são comemorados com uma reunião no Circolo della Stampa. Em Buenos Aires é inaugurada a Plaza Mafalda, localizada no bairro de Colegiales. A Ediciones De La Flor e a Cancillería convidam Quino para a Feira do Livro de Bogotá, Colômbia, na qual a Argentina é o país convidado.

Em 2000, em fevereiro, o Instituto Cubano do Livro realiza a mostra O Mundo de Quino no Centro Wilfredo lam, subsede da Nona Feira Internacional do Livro de Havana. A Litexa Boliviana S. A. convida Quino para ir a La Paz, na Bolívia, para a Feira do Livro, com o patrocínio do Lloyd Aéreo Boliviano e da prefeitura de La Paz. Nessa oportunidade, a relação estabelecida com o público levou-o a se comprometer a comparecer à Feira do Livro de 2001. Na Grécia, por ocasião do 5o Festival Internacional do Humor, Quino faz uma exposição de seus desenhos e de algumas tiras da Mafalda, contando com o patrocínio do Ministério da Cultura da Grécia, do Município de Atenas e da Unesco. Em outubro é convidado para o Salão Internacional de Quadrinhos de Gijón. Por ocasião da mostra Ibero-americana de Humor Gráfico, a Universidade de Alcalá de Henares nomeia-o Catedrático Honorífico do Humor. Em novembro, as editoras Glénat e Hachette do Canadá convidam Quino para o 23o Salão do Livro de Montreal. Em 11 de dezembro, Quino torna-se a segunda pessoa a receber o prestigioso prêmio Quevedos de Humor Gráfico, promovido pelos ministérios de Educação e Cultura e de Assuntos Exteriores da Espanha, por iniciativa da Fundación General da Universidad de Alcalá.

Em 2001, durante os meses de julho e agosto realiza-se uma mostra itinerante de Humor na Bolívia (La PaZ, Cochabamba, Santa Cruz de la Sierra e Tarija). A mostra é inaugurada por ocasião da VI Feira Internacional do Livro de La Paz e realizam-se diversas atividades com a presença de Quino, conforme prometera em sua visita do ano anterior. Tudo isso foi possível graças à Câmara Boliviana do Livro.
Por iniciativa da Fundación General da Universidad de Alcalá de Henares, entre 4 e 30 de outubro realizou-se nessa cidade uma exposição retrospectiva da obra de Quino, coincidindo com a VIII Mostra Ibero-Americana de Humor Gráfico. Em 15 de outubro Quino recebe o Prêmio Bienal Ibero-Americana de Humor Gráfico “Quevedos”, outorgado pela Fundación General de la Universidad de Alcalá de Henares em dezembro de 2000, no salão nobre da universidade. Foi um ato emocionante, presidido pelo Secretário de Estado de Cultura, Luis Alberto de Cuenca, com a presença de Antonio Mingote, primeiro Prêmio Quevedos 1998, e outras importantes personalidades da cultura.
Entre outubro e dezembro a Ediciones De La Flor na Argentina e a Editorial Lumen na Espanha editam Eso no es tudo [Isso não é tudo], álbum de mais de 500 páginas, compilação de seus melhores trabalhos de Humor Gráfico, exceto Cuánta bondad! , selecionados pelos editores de seus álbuns de humor.
Em janeiro de 2002 será editado também pela Tusquets Editores, do México.

Em 2009, em agosto é conferida a Quino a primeira Medalha do Bicentenário que o governo de Buenos Aires entregará a personalidades argentinas por ocasião dos festejos do bicentenário da revolução de 25 de maio de 1810. Essa medalha, desenhada pelo artista Antonio Pujía, será entregue a cerca de 200 pessoas que se destacam por seu trabalho profissional, intelectual, humaniária, social e artístico.
Nesse mesmo mes é inaugurada, também no contexto do Programa Portas do Bicentenário do Governo da Cidade de Buenos Aires, a escultura de Mafalda no bairro de San Telmo. A obra foi realizada pelo artista Pablo Irrgang. No ato foi descoberta uma placa de recordação na porta do edifício onde Quino morava, na rua Chile, com a inscrição “Aquí vivió Mafalda”.
Em 20 de agosto a Academia Nacional de Jornalismo entregou-lhe o prêmio La Pluma de Honor 2009. No ato, Sábat destacou seu papel fundamental no jornalismo argentino.
A mostra “El Mundo Según Mafalda” continua a percorrer a Argentina, apresentada em agosto e setembro no Espaço Copntemporâneo de Arte da Província de Mendoza.
Para festejar os 45 anos de Mafalda, em 10 de outubro é inaugurada uma mostra na Associazione Amici del Loggione del Teatro alla Scala de Milano.
Em 13 de novembro o comitê espanhol da UNICEF destaca 15 pessoas e instituições, entre as quais Quino, por sua contribuição à defesa dos direitos das crianças. O ato de entrega é presidido pela Infanta Doña Margarita de Borbón.

Em 2011: Quino: história do autor de Mafalda em documentário
Documentário produzido pela TAL – Televisíon América Latina – sobre Quino, autor das famosas tiras do personagem Mafalda. Quino recebeu todo tipo de homenagens e condecorações. Conhecido por todo mundo por seu humor inteligente e comprometido, suas tiras já foram traduzidas para vários idiomas e viu seus personagens nas páginas dos principais jornais do Mundo.

http://federasur.org.br/cultura/2011/02/quino-historia-do-autor-de-mafalda-em-documentario/

4 Comentários Conheça Joaquín Salvador Lavado, o “Quino”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


sete × = 21