Joe Kubert, lenda dos quadrinhos, falece aos 85 anos

Perdemos um quadrinista que conseguiu, com apenas 12 anos de idade, entrar no universo da HQ com “Archie”. Foi criador de Sargento Rock, Tarzan e Gavião Negro

Joe Kubert
Joseph Kubert, uma das lendas vivas dos quadrinhos nos EUA, faleceu neste domingo. O quadrinista, conhecido pelas HQs de Sargento Rock, Tarzan e Gavião Negro, ainda estava na ativa, tanto desenhando quanto coordenando a Kubert School. Tinha 85 anos.

personagensKubert nasceu numa aldeia judia da Polônia, em uma região que hoje faz parte da Ucrânia. Foi para os EUA com apenas dois meses, em 1926. Não há uma biografia precisa sobre o início da sua carreira, mas há registros de que ele circulava por estúdios já aos 13 anos, no boom dos quadrinhos em Nova York do final da década de 1930. Ele chegou a dizer que fez estágios nestes estúdios aos 10 anos.
Sob a tutela de artistas como Charles Biro, Mort Meskin e Bob Montana, Kubert conseguiu, com apenas 12 anos de idade, entrar no universo da história em quadrinhos na série “Archie”.

personagensApós a formação artística na adolescência, ele começou a trabalhar profissionalmente para estes estúdios, que forneciam material para diversas editoras. No início da década de 40, já estava trabalhando para a DC Comics. Aos 19 anos, fez sua primeira história com o Gavião Negro, com quem teve uma longa relação – participou inclusive da reinvenção do personagem, no início da década de 60, e até hoje tem seu nome associado ao herói.

Sargento RockEm meados da década de 50, exclusivo da DC, ele participou da criação do Príncipe Viking e do longevo personagem militar Sargento Rock, ambos ao lado do roteirista Robert Kanigher.
Entre 1951 e 1952, esteve afastado dos quadrinhos, pois estava alistado numa unidade do exército, que atuava na Alemanha.
Em 1952, se tornou editor da St. John Publications e criou Tor, na revista 1,000,000 Years Ago! #1. Tor foi republicado pela Eclipse Comics e, na década de 1990, pela DC Comics, Epic Comics e Atomeka Press.
O período em que Kubert trabalhou para a St. John foram os melhores anos da editora. Nessa fase, ele também ilustrou as aventuras de Super Mouse e as HQs de Os Três Patetas.
Em 1955, voltou para a DC Comics e, em Our Army at War # 32, deu vida ao Sargento Rock. Outro herói criado por Kubert (e Robert Kanigher) nesse ano, foi o Príncipe Viking, em The Brave and the Bold # 1. Aliás, quadrinhos de guerra estavam entre os principais gêneros produzidos pelo artista, como Enemy Ace e G.I. Combat (revista na qual desenhou diversos personagens, como o Tanque Mal-Assombrado).
No final da década de 1950, Kubert voltou a desenhar O Gavião-Negro, criando alguns de seus trabalhos mais memoráveis com o herói.
Kubert produziu Tales of the Green Beret em 1965. Era uma série de tiras feitas para o jornal Chicago Tribune, durante a Guerra do Vietnã, com enredos do escritor Robin Moore (de Os Boinas-Verdes e The French Conection, livro que inspirou o filme Operação França). O material foi publicado até 1968. Também colaboraram com a tira, o escritor Howard Lyss e o desenhista John Celardo, que assumiu a arte após a saída de Kubert, em 10 de janeiro de 1968.
De 1967 a 1976, o quadrinista assumiu posto executivo na editora, como diretor de publicações.

Conseguiu os direitos para fazer HQ de Tarzan, que ele mesmo desenhou – o material foi recentemente republicado no Brasil.
Em 1976, o autor fundou a Joe Kubert School of Cartoon and Graphic Art em Dover, estado de New Jersey. Foi a primeira escola dos EUA com formação superior específica para o cartunismo, na ativa até hoje e conhecida pela proposta rigorosa. Stephen Bissette, Rick Veitch, Karl Kesel, Scott Kolins, Alex Maleev, Tom Raney, Adam Warren, Steve Lieber, Lee Weeks e o brasileiro Sergio Cariello (que foi professor da escola) são alguns dos formados por Kubert – sem falar em seus dois filhos, os celebrados Andy e Adam Kubert (também atualmente professores).
Nos últimos anos, Kubert dedicou-se a graphic novels como Fax From Sarajevo (1996), Yossel (2003), Dong Xoai (2009) e retornos a personagens como Sargento Rock e Tor – o caçador pré-histórico que criou na década de 50. Fez até uma colaboração internacional, desenhando edição especial de Tex. Está saindo nos EUA Before Watchmen: Nite Owl, que desenha ao lado do filho Andy. A DC havia anunciado há pouco a minissérie Joe Kubert Presents, com seis edições de material produzido pelo próprio ou por convidados, com os personagens que marcaram sua carreira. A minissérie estrearia em outubro lá fora.
Em 2001, ilustrou Imagine Batman de Stan Lee, e dois anos depois produziu uma graphic novel inédita do Sargento Rock para o selo Vertigo, chamada Sgt. Rock: Between Hell and a Hard Place, que teve roteiro de Brian Azzarello.
Ainda em 2001, foi lançada uma edição de Tex Gigante, da Sergio Bonelli Editore, com arte de Kubert e enredo de Claudio Nizzi.
Entre 2003 e 2005, produziu duas graphic novels, Youssel, 19 de abril de 1943 e Jew Gangster.
Em 2005, começou a colaborar com a revista do exército estadunidense PS Magazine, título no qual também trabalhou Will Eisner.
Kubert trabalhou foi um dos mais famosos e influentes artistas da Era de Ouro dos quadrinhos. Ele era um dos poucos remanescentes daquela época ainda vivo e em atividade.
Dentre os prêmios que ganhou, estão os Alley Award, National Cartoonist Society Award, Eisner Award e Harvey Award. Ele também integra o Hall da Fama dos prêmios Eisner e Harvey.
Além disso, dois de seus cinco filhos, Andy e Adam Kubert, estudaram na escola do pai e se tornaram dois respeitáveis nomes da indústria de quadrinhos dos Estados Unidos, tendo feito diversos trabalhos para Marvel e DC.
O último trabalho de Joe Kubert foi feito em parceria com seu filho Andy. Os dois estavam ilustrando a minissérie Before Watchmen: Coruja. Para outubro deste ano, a DC tem planejado o lançamento de uma antologia em seis edições chamada Joe Kubert Presents, que trará aquele que – provavelmente – é o último trabalho produzido por ele.
Premiado e reconhecido internacionalmente, Kubert perdeu a esposa Muriel em 2008 após um casamento de 57 anos. Os dois fundaram e administravam juntos a escola de quadrinistas, e diz-se que a esposa inspirou o visual de Shiera Hall, a Mulher-Gavião. A causa da morte de Kubert ainda não foi divulgada.

revistas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Prove que você não é um robô! *