Bola de fogo

Conheça o personagem do Planeta Zhargon criado por Wilson Fernandes

Bola de fogo
Gha-Nom é um alienígena do planeta Zhargon, que veio a Terra com o objetivo de evitar uma invasão. Em contato com a nossa atmosfera adquire o poder de inflamar-se e utilizar-se dessa propriedade para ataque e defesa contra os invasores. Desse modo torna-se uma arma em defesa do planeta terra. Logo foi batizado pelos terráqueos de Bola de Fogo.

The Human Torch (O Tocha Humana), herói que tinha o poder de literalmente se inflamar e controlar as chamas ao seu redor, surgiu nos Estados Unidos, em 1939, e ficou muito popular durante a Segunda Guerra. Apareceu, além de sua revista própria, em inúmeros comic books, tanto nos EUA como no Brasil. Com o fim do conflito, sua chama, digo, popularidade, foi se apagando e seu gibi cancelado.

Cancelado, mas não esquecido. Tanto que, cerca de vinte anos depois, em 1967, a editora brasileira Taika resolveu lançar sua própria versão do Tocha. Criado por Wilson Fernandes, o Bola de Fogo – O Homem do Sol, embora visivelmente igual ao personagem americano, se diferenciava deste pela origem. Enquanto que o Tocha era um andróide que se inflamava em contato com o oxigênio, o Bola de Fogo era uma alienígena vindo, por incrível que pareça, do Sol.

Como a vida inteligente pôde evoluir no Sol só mesmo na cabeça de Fernandes. Mas, enfim, nosso herói foi treinado desde cedo para uma missão especial: viver na Terra para nos proteger dos invasores de Zargom, um décimo planeta desconhecido pelo Homem. Os habitantes de Zargom, mais evoluídos tecnologicamente que os terrestres, conquistariam a Terra facilmente, por isso o Homem do Sol, Gha-Nom, igual e altamente-tecnológico, vem ao nosso mundo para formar a linha de defesa. Ao entrar em contato com nossa atmosfera, seu corpo sofre um efeito colateral e se inflama, permitindo-lhe, entre outras façanhas, voar e disparar chamas. Gha-Nom se torna herói da Terra e ganha o apelido de Bola de Fogo.

Os desenhos de Fernandes estavam nos conformes, mas o roteiro era bem fraquinho. Como se não bastasse o argumento inverossímil, a narrativa era pesadona e o herói disparava pérolas como essa: “Falta pouco para chegar à Terra. Vou aterrar na América do Sul… em um grande país, Brasil”, além de outros ufanismos típicos da época. O que compensava tudo era a arte, mesmo.

Capa Bola de fogoO final do primeiro número terminava com um gancho: os zargomianos atingem Bola de Fogo com uma descara de raios, arremessando-o ao mar, aparentemente morto. Só que os leitores não viram o desfecho dessa história, pois o número 2 nunca chegou às bancas.

Bola de Fogo permanece hoje como uma curiosidade daqueles anos 60, “o herói brasileiro que durou apenas um número”, numa época em que os gibis tinham vida mais longa. Talvez merecesse melhor sorte, pois era uma HQ simpática e com desenhos atraentes.

 

Histórico:

O interior do Sol é secretamente habitado por uma raça de seres altamente evoluídos. Preocupados com a iminente invasão da Terra pelos habitantes de Zargom, os homens do Sol treinaram um agente, Gha-Nom, para que viesse à Terra avisar-nos e auxiliar-nos a combater os invasores. Para essa tarefa Gha-Nom teria uma pequena vantagem: Em nossa atmosfera, o homem do Sol adquire espantosos poderes flamejantes, tornando-se um oponente terrível. Devido a isso, Gha-Nom adotou o codinome Bola de Fogo.

Poderes:

Bola de Fogo era capaz de envolver seu corpo em chamas, voar e disparar labaredas em forma de jatos ou bolas de fogo.

Arqui-inimigo(s):

Os zargonitas, habitantes de Zargom, o décimo planeta do sistema solar, até então desconhecido pelos cientistas da Terra, possuía uma avançada tecnologia bélica.

WILSON FERNANDES

WilsonDesenhista e editor brasileiro, já falecido. Nos anos 60, trabalhava na Editora Pan Jvenil, dos irmãos Bentvegna, onde conheceu artistas como o então iniciante Minami Keizi, em 1964. Este tentou convencê-lo a publicar mangá, sem sucesso. Fernandes achava, com razão, que a moda nos quadrinhos era outra. Assim, na segunda metade dos anos 60 já pela editora Taika, Fernandes escreveu e desenhou, influenciado pela explosão dos super-heróis no Brasil, os três primeiros números do “Escorpião”, um novo herói brasileiro, e a edição única de “Bola de Fogo” (1967).

Fernandes se envolveu, nos anos 80, numa polêmica: fez para a editora Press uma HQ de faroeste que nada mais era do que uma cópia do Tex italiano desenhado por Fernando Fusco. O autor brasileiro provavelmente apostou na memória curta do leitor e nem se preocupou em disfarçar muito os desenhos, mas o plágio foi descoberto.

Franco de Rosa lembra que Fernandes era um notório “homenageador” de HQs. “Há dezenas de HQs dele, imitando o estilo de Hugo Pratt, Breccia, Joe Kubert, e outros tantos”.

Personagens criados por Wilson Fernandes (5)

• Bola de Fogo (Gha-Nom)
• Escorpião (Nilson )
• Hur (Humberto Ulisses Ramos)
• Morcego
• Wes, O Cowboy

3 Comentários Bola de fogo

  1. wilson widner fernandes

    Ele era meu que faleceu no dia 12 de outubro de 2014. não cheguei conheceu muitos trabalho dele. Me lembro quando ele fez historia reais de Drácula

    Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Prove que você não é um robô! *