Drácula por Rodolfo Zalla

O álbum traz oito his­tó­rias do vam­piro publi­ca­das entre 1983 e 1993

Dracula
A Kalaco vem sendo res­pon­sá­vel por recu­pe­rar diver­sas HQs clás­si­cas bra­si­lei­ras. Agora, uma par­ce­ria com a Zarabatana Books vem con­fe­rindo uma boa dis­tri­bui­ção a essa pro­posta. É o caso deste Drácula, por Rodolfo Zalla, que che­gou às lojas no final de 2012. O álbum traz oito his­tó­rias do famoso vam­piro publi­ca­das no Brasil entre 1983 e 1993.

Zalla ficou conhe­cido como o “Mestre do Terror” nas HQs bra­si­lei­ras e publi­cou diver­sos tra­ba­lhos na revista de mesmo nome, da qual era edi­tor. A publi­ca­ção foi a mais lon­geva do gênero do País e estava des­co­nhe­cida dos lei­to­res, já que exem­pla­res são ven­di­dos a pre­ços altos a cole­ci­o­na­do­res. Este livro de Drácula recu­pera um mate­rial que tem um valor his­tó­rico para as HQs brasileiras.

Além da bom roteiro que mes­cla humor e ero­tismo pulp típico dos anos 80, ajuda a com­pre­en­der um período edi­to­rial bas­tante pecu­liar. Era uma época muito dife­rente de hoje, com menos recur­sos, mas com uma pro­du­ção pro­fí­cua de pro­fis­si­o­nais bra­si­lei­ros. São oito his­tó­rias neste livro, todas tendo Drácula como foco.

Zalla mos­tra cri­a­ti­vi­dade ao criar diver­sos tipos de nar­ra­tiva para con­tar his­tó­rias de ter­ror com o vam­piro. “Terror… Também é Cultura!” é con­tado em forma de docu­men­tá­rio ao falar de Vlad Tepes III, tido como o Drácula his­tó­rico que viveu na Idade Média e que ins­pi­rou o escri­tor Bram Stoker. Há uma busca por uma dia­gra­ma­ção ousada em “O Grito de Uma Sombra”. Já “Destinos Cruzados” mos­tra o vam­piro apai­xo­nado por uma cega que vive iso­lada em um farol.

O livro ainda traz a his­tó­ria “Vampiro de Cera”, que foi escrita por Rubens Francisco Lucchetti, e foi a pri­meira his­tó­ria de Drácula escrita por Rodolfo Zalla.

Zalla, o ter­ror pio­neiro

Rodolfo Zalla nas­ceu na Argentina em 1930 e ini­ciou sua car­reira por lá em 1953. Mudou-se para o Brasil em 1963, onde radicou-se. Ao lado de Eugênio Colonnese (1929 — 2008) , fun­dou a edi­tora Estúdio D-Arte, que lan­çou as revista Mestres do Terror e Calafrio no mer­cado brasileiro.

Além des­sas duas publi­ca­ções impor­tan­tes para os qua­dri­nhos bra­si­lei­ros, Zalla ainda ficou conhe­cido pelo seu tra­ba­lho com o per­so­na­gem Zorro, para a edi­tora Abril. Ainda em ati­vi­dade, Zalla lan­çou em 2010 um álbum sobre o médium Chico Xavier. O dese­nhista Márcio Baraldi anun­ciou no ano pas­sado um docu­men­tá­rio sobre a vida do autor, Ao Mestre Com Carinho.

A che­gada des­tas his­tó­rias de Drácula às livra­rias é uma ótima opor­tu­ni­dade para conhe­cer (ou reen­con­trar) o estilo de Zalla, que con­se­gue impri­mir bas­tante expres­são em seus per­so­na­gens e tam­bém ousar na nar­ra­tiva de terror.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *